domingo, 30 de outubro de 2011

Quando meus olhos encontram aquela figura
Teimam então a fixar meu olhar
naquele mesmo ponto, mesma pessoa.
Tento disfarçar mas não existe tal possibilidade.

Cria-se uma sequencia de
sentimentos, sensações.
Cria-se o medo de que interpretem
aquele meu olhar, olhar que é o único
que não consegue mentir
enganar.

Quando se distancia
o coracão reclama.
Pede que volte
Os olhos acompanham
Até o momento que enfraquece
E consigo voltar a disfarçar.
Fingir que nada sinto
Nada penso
Nada sonho.

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Anda coração
Larga essa sua razão
De tanto de exaltar,
De tanto se submeter a esse encanto.

Fique cego por um instante
Perca a memória
Prometo que ainda guardarei lembranças.
Deixo uma foto em minha estante.

Anda coração
Tente compreender
Seus pedidos são impossíveis

Não quero sofrer mais não.
Anda coração.